Produção de porcos da China cai para o menor valor em 16 anos em 2019 por causa da peste suína Chineses, que são os maiores consumidores mundial de carne suína, produziram 42,55 milhões de to

Criado em 18/01/2020 por Administrador


A produção de carne suína da China em 2019 caiu para uma mínima de 16 anos, mostraram dados oficiais divulgados nesta sexta-feira (17), após a peste suína ter dizimado milhões de porcos no principal produtor do mundo.

Acompanhe a cobertura de Agronegócios do G1
A China, que também é o maior consumidor mundial de carne suína, produziu 42,55 milhões de toneladas de carne no ano passado, uma queda de 21,3% em relação a 2018, e a menor produção desde 2003, segundo dados de agência nacional de estatísticas.

A peste suína africana, um vírus incurável que mata quase todos os porcos que infecta, mas não prejudica os seres humanos, chegou à China em 2018 e se espalhou para fazendas em todo o país.

Os preços dos alimentos na China dispararam, à medida que os custos com carne de porco aumentaram em meio à escassez de oferta, levando a inflação a quase uma máxima de oito anos na segunda maior economia do mundo.

O Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais informou que o rebanho de suínos da China havia diminuído em outubro em 41% em relação ao ano anterior, mas aumentou 2% em novembro. Esses dados não forneceram um tamanho total de rebanho.

Na sexta-feira, a agência de estatísticas disse que o rebanho de porcos caiu 27,5% em relação ao ano anterior, para 310,41 milhões de cabeças no final de dezembro. Isso é superior aos 306,75 milhões de cabeças registrados nos primeiros nove meses do ano.

Alguns analistas e especialistas do setor contestaram o número oficial do governo sobre o tamanho do rebanho, acreditando que o declínio foi maior.

Alta das carnes no Brasil
A falta de carne de porco na China estimulou as importações das carnes brasileiras em 2019. As vendas das proteínas suína e bovina ao exterior bateram recorde no ano passado e fez os preços dispararem no país.

Para aumentar as compras, os chineses habilitaram diversos frigoríficos brasileiros no ano passado. Atualmente 102 indústrias brasileiras estão autorizadas a vender para China:16 de carne suína, e 48 de carne de frango, 37 de carne bovina e 1 de carne de asinino (jumento).