Com ajuda de pequenos investidores, Bovespa tem melhor resultado em 3 anos - Por Graziela Azevedo, Jornal Hoje

Criado em 01/01/2020 por Administrador


O mercado financeiro fecha o ano em clima de comemoração. A bolsa brasileira registrou a maior alta em três anos e viu o número de pequenos investidores dobrar em apenas 1 ano.
O ingresso de pessoas físicas na B3, principal índice da bolsa de valores brasileira, chegou a saltar de 600 mil em 2018, para 1,6 milhão em 2019.
No ano, a Bovespa acumulou alta de quase 32%. O índice começou 2019 aos 91 mil pontos, mas chegou a bater o recorde nominal de 117 mil pontos, um dia depois das festividades de Natal, no dia 26 de dezembro.
O que incentivou a forte entrada de pessoas físicas na B3 foi a queda da taxa básica de juros (Selic) do país. Os juros começaram o ano em 6,5% e foram caindo ao longo do ano, até chegar a 4,5% - a menor desde que foi estabelecido o regime de metas de inflação no país.
Com isso, os rendimentos de aplicações em renda fixa diminuíram, deslocando o pequeno investidor para a renda variável. Isso acabou amenizando a saída dos investidores estrangeiros do país, ao longo de 2019.
"Investidores grandes, globais, até saíram do mercado, porque não tem aquela remuneração apetitosa dos juros reais elevados e por isso deixaram o país, como investidores", destaca o economista da Macrosector, Fábio Silveira.
"Por outro lado, investidores locais insatisfeitos com a remuneração de renda fixa, títulos públicos, decidiram optar com pouco mais de risco. Foram buscar rentabilidade em ações de diferentes setores", acrescenta.
Porém, o economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale, recomenda que os investimentos na bolsa sejam feitos com cautela, já que essas aplicações têm risco elevado. Ele recomenda começar a investir com 10% - ou no máximo 20% - do total do dinheiro de uma reserva.