Bandeira tarifária continuará amarela, e contas de luz seguirão com taxa extra em janeiro - Por Laís Lis, G1 — Brasília

Criado em 28/12/2019 por Administrador


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta sexta-feira (27) que a bandeira tarifária de janeiro continuará amarela, o que significa uma cobrança extra de R$ 1,343 a cada 100 quilowatts-hora consumidos.

Entenda o sistema de bandeiras tarifárias
Segundo a Aneel, a previsão para janeiro é de "elevação gradativa dos principais reservatórios, mas em patamares abaixo da média histórica".

Por esse motivo, de acordo com a agência, ainda deve ser necessário o acionamento de parte do parque termelétrico, o que encarece o custo de geração da energia.



Reservatórios
O nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas do Sudeste/Centro-Oeste, responsável pela geração da maior parte da energia hidrelétrica do país, deve fechar o mês de dezembro no menor nível desde 2014.

Segundo dados do Operadora Nacional do Sistema Elétrico (ONS), até o dia 25 de dezembro, o nível dos reservatórios do subsistema Sudeste/Centro-Oeste estava em 20,32%, o menor nível para dezembro desde 2014, quando os reservatórios terminaram o mês com 19,31% da capacidade.

Com o nível baixo dos reservatórios, é preciso acionar mais usinas termelétricas, que geram energia mais cara, o que influencia no acionamento das bandeiras tarifárias.

O sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo de geração de energia. O objetivo é informar aos consumidores quando esse custo aumenta e permitir que eles reduzam o consumo para evitar pagar uma conta de luz mais cara.

Novos valores
Desde novembro, quando o valor das tarifas deixou de ser arredondado, vigoram novos preços para as bandeiras:

a amarela passou de R$ 1,50 por 100 kWh consumidos para R$ 1,34;
a vermelha patamar 1 passou de R$ 4 por 100 kWh para R$ 4,16;
a vermelha patamar 2 passou de R$ 6 por 100 kWh para R$ 6,24 por 100 kWh.